Segundo o IBGE, mais de 13 milhões de brasileiros estão desempregados, o número de pessoas sem emprego no país é maior que a população inteira de São Paulo. Este resultado é do último trimestre que terminou em julho, os dados mostram que a taxa caiu em comparação ao semestre anterior (13,6%), mas subiu com relação ao mesmo período do ano passado (11,6%).

Porém, com a alta taxa de desemprego, cada vez mais as pessoas procuram novos meios para conseguir pagar as contas, diante da crise que assola o Brasil, um setor que se tornou promissor foi o de vendas diretas.

De acordo com a ABEVD, Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas, o Brasil ocupa neste nicho, a 6ª posição no ranking mundial, com mais de 4,3 milhões de representantes no país, e é responsável por 5% das vendas mundiais, sendo líder na América Latina.

Muitas empresas estão de olho neste mercado e fazem da crise uma oportunidade para crescer e também gerar mais empregos, um exemplo é o Catálogo Viver Mais e Melhor, que chegou neste setor em agosto deste ano, após dois anos atuando no televendas, a empresa traz oportunidade para revendedores e reúne produtos de alta qualidade a valores acessíveis para proporcionar qualidade de vida aos representantes e clientes.

Segundo Pedro Gurgel, diretor executivo da Viver Mais e Melhor, o objetivo principal é fomentar a qualidade de vida nas pessoas, levando saúde e bem-estar ao consumidores e revendedores. “Iniciamos o projeto em São Paulo e região e em breve iremos expandir para o Brasil todo. Queremos atingir mais de 10 mil revendedores cadastrados ainda neste ano”, destaca.

Renata Bandeira, que antes trabalhava na área de TI, é um exemplo para quem quer apostar neste nicho de mercado, ela explica que hoje consegue fazer os próprios horários e que percebeu que poderia fazer das vendas diretas sua renda principal. “Aos poucos, fui criando uma excelente rede de vendas e percebi que podia deixar o escritório. Hoje atuo com vendas de diversos catálogos como Avon e Jequiti, agora estou me dedicando ao Catálogo Viver Mais e Melhor”, explica a revendedora.

Luiz Eduardo das Chagas, é um outro exemplo para quem quer fazer das vendas diretas a principal renda e também de como esse modelo de negócio pode trazer ganhos rápidos. “Fiz o pedido dos produtos do Catálogo Viver Mais e Melhor, quando a mercadoria chegou, em apenas dois dias eu consegui finalizar todo o meu estoque. Fiquei surpreso e muito contente com os resultados em tão pouco tempo”, comenta.

Gurgel ainda explica que este setor atrai as pessoas não somente pela possibilidade de ter uma renda extra, mas também pela flexibilidade. “Muitas pessoas veem neste setor muito mais do que uma fonte de renda extra, as vendas diretas proporcionam flexibilidade no horário de trabalho, possibilidade de ganhos ilimitados, independência financeira e novas perspectivas”, finaliza.

A matéria original foi publicada no Portal JTV. Para ler o conteúdo original, clique aqui.