A companhia brasileira de cosméticos Natura informou a saída de Roberto Oliveira de Lima da sua presidência. O conselho de administração elegeu João Paulo Brotto Gonçalves Ferreira para ocupar a posição.

Na terça-feira, 25, a Natura anunciou a troca de seu CEO, Roberto Lima, por João Paulo Ferreira, até então, vice-presidente comercial da gigante de cosméticos. Divulgada após o fechamento do mercado, a súbita dança das cadeiras foi tratada como uma estratégia natural, previamente traçada. Dois dias depois, a empresa reforçou essa mensagem. “Sabíamos que era um processo de transição”, disse Pedro Passos, presidente do conselho de administração, em teleconferência com analistas.

Em um mercado com alto grau de competitividade como é o da venda direta, o diferencial estratégico que tem garantido os resultados de venda das empresas de alta performance vai além do investimento na marca e no produto. A manutenção desse sucesso cada vez mais depende da capacidade de identificar rapidamente oportunidades de melhoria em suas operações e atuar de forma precisa em relação à sua equipe de vendas.  Da forma como enxergamos, atingir esse objetivo só é possível quando o processo de gestão é totalmente baseado na análise de indicadores  e real time da força de vendas.

A empresa Natura Cosméticos estuda a opção de ampliar o volume da produção de sabões e perfumes na Colômbia. Esse plano faz parte de uma estratégia da marca nos países nos quais ela está presente.

Erasmo Toledo, vice-presidente de Negócios das Operações Latino-Americanas da Natura, explica a situação do mercado colombiano e os planos de negócio.