Como a let facilita a inovação nas vendas complexas?

Sistemas de gestão únicos e engessados como os de antigamente começam a sofrer com a pressão da Transformação Digital. Isso porque as empresas precisam acelerar os esforços em inovação sob o risco de ficarem para trás no uso de novas metodologias e tecnologias. Atender anseios das empresas de vendas complexas, dando mais flexibilidade para inovar, é um dos atributos que fazem os sistemas de gestão comercial ganharem espaço. É o caso da let, da Gera.

Além de melhorar a gestão das vendas complexas, a let é um sistema que viabiliza a inovação de quem a adota. Veja abaixo dois dos fatores fundamentais na transformação deste processo:

Mundo das APIs a favor da inovação

O sistema conta com suporte às interfaces de programação de aplicações, ou simplesmente APIs (do inglês Application Programming Interface), uma das tendências de desenvolvimento de software que mais cresceram nos últimos anos. Elas são conjuntos de rotinas e padrões de programação que permitem acessar um aplicativo ou plataforma web. Na prática, é por meio das APIs que empresas desenvolvedoras dão a outros criadores a possibilidade de ter produtos associados ao serviço original.

Inserir um player de música por streaming ou um mapa de um serviço de navegação em outro aplicativo – de entregas, por exemplo – é um exemplo corriqueiro de uso de APIs. Grandes fabricantes disponibilizam códigos e instruções para serem usados em outros serviços, incluindo aqueles de uso corporativo.

Um exemplo criativo de uso de APIs da Gera por clientes vem de um grande fabricante de cosméticos brasileiro que opera no modelo de venda direta. Ele desenvolveu um aplicativo para revendedores capaz de fazer pedidos de compra e que alimenta a base de dados da let diretamente.

Segundo Alencar de Carvalho Júnior, CEO da empresa, o principal objetivo é dar aos clientes a possibilidade de usarem o trabalho dos próprios departamentos de inovação, incluindo novos e criativos usos da plataforma de gestão comercial que não necessariamente serão desenvolvidos pela equipe da própria Gera.

Outra possibilidade dada pelo sistema de gestão comercial da Gera é o de utilizar APIs de outros fabricantes. Redes sociais, por exemplo, criando lojas em páginas de Facebook já conectadas ao sistema, ou então permitindo que o revendedor compartilhe itens de e-commerce da let em grupos de WhatsApp.

“Apesar de sabermos que ainda há muito para os clientes explorarem do que já existe na let, e das possibilidades de combinação das APIs, não paramos de desenvolver novas funcionalidades”, ressalta Alencar. “O mundo está em plena transformação, e em vendas não existem melhores práticas: melhor é aquela que vende, e precisamos estar um passo à frente das necessidades do cliente.”

Inovando por meio de módulos

Outra ferramenta que permite aos usuários da let inovar no dia a dia são os módulos, que podem ser adicionados à solução inicialmente contratada sempre que houver necessidade de expandir recursos. Isso é possível graças à arquitetura da Gera, que facilita o encaixe de “peças”, tornando a let ao mesmo tempo mais robusta e flexível que um ERP de mercado ou uma solução de desenvolvimento próprio.

“Quando falamos em inovação, falamos de troca de peças. De recombinar peças. E de estar abertos a receber peças feitas pelo próprio cliente rodando dentro desta arquitetura. Estamos então falando de uma arquitetura em que se monta o modelo de negócios como um lego, configurado da maneira que o cliente preferir”, explica Alencar, esclarecendo o modelo modular da plataforma.

Segundo o CEO, mesmo uma combinação idêntica de módulos pode resultar em soluções muito diferentes para cada cliente que adota a let graças às diferentes configurações e modelos de negócio. Isso permite uma relação melhor de robustez e flexibilidade sem prescindir da segurança e do compliance.

Entre os vários módulos oferecidos pela Gera para a let, o de vendas forma o core do sistema e é de contratação obrigatória. Outro mais comumente contratado dentro da solução inicial é o de gestão de força de vendas. Em torno desses rodam todos os outros.

“O que mais varia são os [módulos] de canais de venda. Em um mundo cada vez mais omnichannel, é natural que isso aconteça”, explica Alencar. “Normalmente o cliente evolui porque o mercado exige coisas a mais, que são atendidas por determinados módulos ou pela fluência que começa a ter na ferramenta. A possibilidade de combinações é muito grande.”

Você também se encontra diante do desafio de inovar e busca um sistema robusto e flexível? A let, da Gera, pode ser a solução. Entre em contato com nosso time de consultores para obter mais informações.

Marketing Gera

Equipe formado por professionais em Marketing, Comunicação e Administração, especializados no setor de tecnologia e gestão comercial omnichannel, nos modelos da Venda Direta (Mono, Bi e Multinível) e Varejo em geral.