Interação virtual e multicanal é ação primordial no avanço da venda direta

A venda direta conceito que ganhou grande representatividade no Brasil na década de 1970, enfrenta agora um grande dilema: se adaptar à era da tecnologia ou manter os padrões tradicionais e já não tão eficientes. 

Do porta à porta para o tela à tela, a aposta das empresas de venda direta é unir revendedor e consumidor virtualmente, sem deixar de lado os negócios feitos de modo tradicional. É neste contexto que abordaremos os tópicos a seguir: multicanalidade e os benefícios da gestão omnicanal. Continue lendo!

 

 Por que ser multicanal e ter integração não é uma questão de escolha ?

 

Fatalmente o que chamamos de estrutura multicanal, transformou a forma como grandes players da venda direta comercializam e interagem com seus clientes ou revendedores. “Por isso, criar novos pontos de contato com os revendedores e com o consumidor tornou-se imprescindível nos dias de hoje.” Diz – Rui Rozas – diretor técnico da DirectBiz Consultants consultoria especializada em venda direta.

Também segundo Rozas, algumas pesquisas revelaram que se você consegue elevar a quantidade de canais e interações on line, em ao menos duas ou três vezes, o seu tíquete médio pode aumentar até cinco vezes.

Por isso, quando falamos de investimento em canais, também falamos em inovação na gestão das vendas, afinal, fazem parte do cotidiano das companhias de venda direta, que buscam tirar o setor da estagnação no Brasil,  fazer Investimentos e gerenciar:

  • Suporte e atendimento inovadores e diferenciados;
  • Proporcionar capacitação de parceiros por vídeo-aulas; 
  • Inovar com aplicativos próprios e softwares robustos para garantir uma melhor gestão. 

 

A crise corroborou com o crescimento das interações on line e busca por novos canais na venda direta  

A maior atenção à inovação na gestão de venda direta se deu quando o setor entendeu que estava entrando em um período de estagnação. Desde que subiu 0,3% entre 2013 e 2014 – quando o faturamento das redes foi de R$ 41,7 bilhões – os ganhos do setor não cresceram. Em 2015, o volume de negócios gerado foi de R$ 41,3 bilhões.  Já no comparativo com 2016 e 2017 , segundo o report global da WFDSA  , as vendas diretas tiveram queda de -1,1%  em comparação com os anos anteriores.  

Rosas conta que, para que as empresas abrissem os olhos e vissem a tecnologia como aliada e não como inimiga, foi preciso uma quebra de paradigmas e neste sentido, a crise ajudou.

“Mídias e aplicativos estão surgindo e ajudando muito a venda direta. Isso representa maior troca de informações entre empresa e cliente”, cita.

Um exemplo disso é o uso do Whatsapp na gestão do atendimento de parceiros e distribuidores, o que tem ajudado o varejo na troca de informações em tempo real. E este canal já se integra com redes sociais e outros canais de forma estratégica para otimizar a comunicação e os negócios.

Veja a seguir dois exemplos de empresas que vem inovando com interação virtual na venda direta:

 

#1 Tupperware é exemplo de venda direta multicanal com interação virtual  

 

Umas das empresas mais tradicionais do setor, a Tupperware criou o programa interno ‘Tuppercity’, ferramenta que garante troca de informações e capacitação de revendedores por meio de vídeo-aulas. Segundo a ex diretora de marketing da Tupperware Brands, Luiza Souza, o investimento neste canal foi uma boa aposta:

“Hoje temos uma estimativa de que 50% de todos os nossos parceiros se relacionam conosco frequentemente. Isso ajuda a aumentarmos a produtividade desses revendedores, torná-los mais profissionais, o que é um dos maiores problemas do setor atualmente”, afirma.

Com mais de R$ 790 milhões em vendas em 2015, a Tupperware  obteve a primeira colocação do ranking das maiores distribuidoras do mundo no mercado brasileiro. Hoje, possui operações em todos os cinco continentes.

 

#2 Jeunesse também é exemplo de operação multicanal  inovadora e case global 

Com apenas sete anos de operação, a Jeunesse Global é outra que apostou na tecnologia como forma de crescer. O app da marca, o ‘J Mobile’, foi considerado um sucesso por representantes da companhia.

“Ele é um app onde você acompanha suas vendas, cadastra pessoas e clientes, mostra todos os benefícios e informações dos produtos e da empresa, além de poder mapear onde há potencial de negócio”, diz o diretor geral da Jeunesse Brasil, Marcel Szajubok.

O plano da Jeunesse foi reforçar a equipe de revendedores, que  somam mais de 60 mil pessoas, mas pode chegar a 500 mil até 2020.

 

Mais um exemplo de que a tecnologia  garante divulgação, vendas e interações em multicanais de forma interativa.

 

E você, está se preparando para expandir e integrar os canais de sua empresa? Já pensou em ter uma solução única para gerir seu processo comercial?

Então, saiba como isso é fundamental na hora de atrair a geração millennial. Os novos empreendedores deste segmento esperam por interações virtuais e omnichannel > Veja neste artigo …  MILLENNIALS: NOVO PERFIL EMPREENDEDOR DA VENDA DIRETA

 

Marketing Gera

Equipe formado por professionais em Marketing, Comunicação e Administração, especializados no setor de tecnologia e gestão comercial omnichannel, nos modelos da Venda Direta (Mono, Bi e Multinível) e Varejo em geral.